Cirurgia do Faustão – Freio Neuroendócrino

Por: em 19 de abril de 2012 - 3 comentários

Recentemente o apresentador Fausto Silva (Faustão) se submeteu a uma cirurgia de tratamento da obesidade e chegou a perder 30 kg após o procedimento. A cirurgia pela qual o apresentador passou se chama Freio Neuroendócrino, procedimento que promete controlar a diabetes tipo 2 e curar a pressão alta.

A técnica foi desenvolvida pelo médico goiano Aureo Ludovico de Paula, o mesmo que operou o apresentador Faustão, e se tornou uma novidade para o que conhecemos como cirurgia bariátrica.

Freio Neuroendócrino consiste em alterar a posição do íleo, que é a parte final do intestino delgado onde são secretados hormônios que estimulam a ação da insulina no pâncreas. Durante o procedimento o médico irá tirar um pedaço do intestino delgado  e recolocar o íleo entre o duodeno e o jejuno fazendo com que essa mudança estimule a produção de insulina. Em casos mais graves em que o paciente está com excesso de peso é feito também um grampeamento do estômago para redução do volume do órgão.

 

Cirurgia Ilegal

Apesar de ser uma técnica aparentemente benéfica o procedimento foi proibido pela Justiça Federalque considera a cirurgia experimental e ainda precisa passar pela aprovação do Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela aprovação também do Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

Segundo o CFM ainda são necessários mais estudos e pesquisas que provem a eficácia da cirurgia e a segurança dos pacientes.

Entretanto, a cirurgia que ainda é ilegal e está em fase de experimento já foi realizada em mais de 700 pacientes no período de 5 anos. Claro que nem todas as cirurgias foram realizadas pelo médico goianoAureo Ludovico de Paula, outros médicos também aderiram a este procedimento.

      

O alerta também vem do doutor Martinho Rolfsen, especialista em cirurgia do aparelho digestivo. "Ao longo dos anos a gente não sabe como é que o organismo das pessoas que foram submetidas a essa cirurgia vai responder. Os resultados até então foram extremamente encorajadores", diz.

Outro cirurgião, o doutor Thomas Szego, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) diz que o procedimento é experimental e deveria passar por mais pesquisas antes da aplicação da cirurgia em qualquer paciente.

“Acho que essa cirurgia não poderia ser feita dessa maneira. O resultado é desconhecido. É uma experiência que está nas mãos de um único cirurgião", diz Szego.

 Porém há controvérsias. O presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso) reconhece que essa cirurgia ainda está em fase experimental, mas diz que não vê problema algum em aplicar a técnica em pacientes desde que o paciente assine um termo autorizando a cirurgia.

“Isso apenas quer dizer que ela não está na lista de procedimentos convencionais, o que não é um problema. É assim que a medicina evolui”, afirma Mancini

Aureo Ludovico de Paula defende sua técnica afirmando que ela não pode ser considerada experimental. “É uma cirurgia que já é feita há seis anos e que já teve resultados apresentados em revistas internacionais”, afirma o médico goiano. “Ela é segura e tem resultados comprovados”.

Deixe uma resposta

Código

3 Comentários em “Cirurgia do Faustão – Freio Neuroendócrino”

  1. Gostaria de saber se uma pessoa com diabetes tipo 2 magra ( 47 quilos) tem como fazer o procedimento de freio neuroendócrino ou é apenas para obesos.

  2. Lucelena Ap Bernardes P Silva diz:

    sou diabetica a 8 anos e agora tenho pressão alta,é um sofrimento se ajuda deveria ser liberado pois nosso tempo de vida esta ficando curto acada dia eu gostaria de fazer sou obesa desde sempre não emagresso tomo um monte de remédio que ajuda a engordar segundo o medico vivo na corda bamba tem dois filhos vivo pedindo  misericordia de Deus para ter saúde para cria-los se pode salvar vidas porque não nos ajudas uma sociedade grande diabedicos.

    • LUCELANA – Olá. Olha amiga realmente não é fácil os problemas relacionados com a obesidade. As políticas da saúde pública não são suficientes para atender todas as pessoas que precisam e a obesidade deveria ser tratada assim como um problema cardíaco, ou seja como qualquer outra doença de caráter emergencial. O duro é que os responsáveis não se importam ficam protelando as providências. Mas não perca a fé não, batalhe, quem sabe você pode conseguir a cirurgia por outros meios. Agora eu digo, se for fazer particular pensem direitinho sobre os benefícios do by pass intestinal. Eu a fiz, emagreci 50 quilos e posso me alimentar normalmente. Abraços amiga…