Light, diet ou zero: eles não ajudam a emagrecer

Por: em 21 de janeiro de 2013 - 1 comentário

Para deixar a dieta mais eficiente, muitos escolhem trocar o refrigerante por sucos, água ou até mesmo refrigerantes zero caloria. Certo ou errado? Quanto aos sucos e água, sim. O grande xis da questão são os refrigerantes light, diet ou zero. Pesquisas mostram que eles não saciam completamente, o que pode fazer com que você coma ainda mais. Além disso, esse tipo de refrigerante deve ser consumido com muito cuidado. Eles possuem altas doses de sódio, que em excesso, podem causar maior retenção de líquidos e aumentar a pressão sanguínea.

Refrigerantes com adoçantes artificiais são eficientes unicamente se as calorias forem controladas, mas o mesmo vale para os refrigerantes normais. Ou seja, dá no mesmo. E fique de olhos bem abertos. Você pode pensar que está sendo super saudável, com seu refri diet, e acabar abusando com aquela sobremesa que não comeria caso o refrigerante fosse normal. Dessa forma, você acaba passando dos limites, e ingerindo mais calorias do que de costume.

Não se esqueça que o refrigerante com adoçante artificial não dá uma sensação de saciedade total. E aqui entra um ponto importante: as pessoas não agem por instinto, apenas. Saciar a fome pode parecer instintivo, mas uma pessoa pode consumir mais ou menos alimentos por questões emocionais, por exemplo. Tudo isso precisa ser levado em conta na hora de escolher a melhor opção para o seu cardápio, e isso inclui (ou exclui) os refrigerantes.

O paladar inteligente

Consumir menos sal, e não utilizar outros produtos para substituí-lo, pode alterar o paladar e diminuir a tolerância ao sal. Mas é importante ressaltar que o mesmo pode acontecer com o gosto doce. Quando você consome adoçante dietético, você acostuma o seu paladar a esse gosto. A ideia era reduzir o açúcar, mas com o paladar acostumado, você vai sempre querer alimentos com aquele gosto.

E pode ser pior do que parece. Crianças que consomem refrigerantes também podem apresentar problemas. Elas tendem a ingerir menos leite, fonte de cálcio. Fora isso, o refrigerante tem fósforo, um elemento que, em excesso, pode atrapalhar na incorporação do cálcio no osso. O resultado disso tudo é o comprometimento da saúde óssea. Idosos e crianças precisam de uma atenção especial. Doenças graves podem ser evitadas com a redução do refrigerante na alimentação.

Light, diet ou zero?

De acordo com a Legislação Brasileira, o produto light deve apresentar uma redução 25% (ou mais) de calorias ou de algum nutriente, como açúcar ou gordura. Já o produto diet ou zero, deve ser isento de algum componente, como sal ou açúcar. No caso do refrigerante, seja diet, light, ou zero, não há diferença. Todos são isentos de açúcar e apresentam quantidades insignificantes de calorias.

Mas então… é seguro?

Os adoçantes são regulamentados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o que garante que os produtos podem ser consumidos com segurança, desde que se respeite as dosagens máximas de ingestão (ver tabela 1). Só não esqueça: o melhor é consumir com moderação.

Deixe uma resposta

Código

1 Comentário em “Light, diet ou zero: eles não ajudam a emagrecer”

  1. e remedio pra emagrecer calca isto?